A toalha em cima da cama

 

toalha

Assim como eu, você já deve ter ouvido diversas vezes sobre  a questão do pecado, e quão difícil é viver com isso. Pois bem, tenho uma boa notícia para você: não precisa ser difícil!

Na verdade, tudo é muito simples, mas como sempre a gente é que complica tudo.

Primeiramente temos que entender qual é a nossa motivação. Fazer algo para que as pessoas vejam o quão santo somos: pronto, já está errado (Mt 6:3). Nem sempre o certo é certo só porque é certo. Precisamos entender que nossa motivação diz muito sobre nossas atitudes.

Agora, qual é a motivação para pecarmos? Por que pecamos? E por que colocamos a culpa na carne, “que é fraca”?

Três pontos importantes:

1º) A carne não é fraca!

Quando nascemos de novo, tudo em nós nasce de novo. Ou por acaso é possível nascer novamente apenas no espírito e nosso corpo e alma ainda serem “velho homem”?

A Cruz foi determinantemente suficiente para nós. Seu sangue nos lavou por completo (espírito, alma e corpo), nos adotou como filhos e hoje o pecado já não faz mais parte de nós (1 Jo 3:9).

 

2º) O pecado não é “bom”!

Temos a falsa ilusão de admitir que “gostamos do pecado porque ele é bom”. Mentira! Somos completamente adaptáveis e o que não gostávamos hoje, amanhã podemos gostar. Eu, por exemplo, detestava café. Não tomava café de jeito nenhum. Mas hoje meu paladar se acostumou e agora café é gostoso pra mim.

Assumimos que o pecado é bom por nos acostumarmos com ele. Seu “sabor” é familiar para nós. Por isso, pecamos.

Experimente se acostumar com a doce presença de Deus na sua vida diariamente. Porque isso sim é bom; isso sim é saboroso. Não há nada mais prazeroso nessa vida. Então o pecado deixará de ser bom (Sl 84:10).

 

3º) Pecou? Ok! Siga em frente!

Mas acontece que no meio do caminho tinha uma pedra. Tinha uma pedra no meio do caminho. E essa pedra chama pecado. Sem querer eu tropecei nela. Ok! Levanta e continua andando.

Parece simples? E é!

Aqui em casa minha esposa não gosta que eu deixe a toalha em cima da cama. Mas as vezes, por causa da pressa, eu acabo deixando, mesmo sabendo que não deveria. Quando isso acontece, ela fica “chateada” e me chama para eu arrumar essa situação. Eu peço desculpas, logo estendo a toalha no lugar certo e pronto. Vida que segue!

É assim quando pecamos, com a diferença que insistimos que não somos dignos do perdão. Jesus nos perdoa, nós é que não nos perdoamos e ficamos prostrados ante a toalha em cima da cama, nos lamentando o quão miseráveis que somos por não te-la estendido no local correto. E Jesus ali, parado na nossa frente, apenas esperando nossa atitude de levantar e estender a toalha no varal.

Pecou? Se arrependa e viva! (1 Jo 1:9)

Não estou dizendo que pecar é normal. Estou é aceitando a graça salvadora e redentora de Jesus e que por meio do Seu sangue somos libertos de qualquer condenação. Estou aceitando que Seu amor me alcançou e Seu perdão me trouxe vida, e é essa vida que eu quero: uma vida de comunhão com Ele.

Experimente essa vida!

Ela é sua também!

 

{Continue essa meditação lendo Romanos 8:1-15}

 

Anúncios

4 Respostas

  1. Mitch

    Aleluia! Te amo, amigo!

    11/09/2014 às 6:15 pm

  2. Will

    Show mano! :) S2

    11/09/2014 às 8:47 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s